Biografia | Biography

IMG_1874_1

“Nasci ao som das ilhas e delas herdei o ritmo e o sentir. A música sempre esteve presente na minha vida através de uma mãe, cabo-verdiana, que me ensinou a cantar e a dançar, de um piano que desde os meus cinco anos nos foi oferecido pelo meu pai, alentejano, e uma casa cheia de irmãos e vida numa pequena cidade alegre e musical chamada Mindelo, onde nasci. O Mindelo é a terra mais diversa, culturalmente falando, de Cabo Verde. Pela sua baía e porto povoados, chega sempre muita gente de outros países. A população tem a mente muito aberta, e uma sensibilidade musical única. Crescer ali, deu-me um sentido de ritmo e noção do mar únicos. O som do mar deu-me um sentido imenso de liberdade que tem expressão na minha música.

Ainda muito pequena cantei com os mais conhecidos grupos de Cabo Verde daquela época incluindo “A Voz de Cabo Verde” , “Ritmos Caboverdianos”, “OsTubarões”, “Bulimundo” entre outros. Estudei em Cuba (1975-1980) onde participei em vários programas radiófonicos cantando e acompanhando-me ao violão (1980-1984). Mas foi em Portugal já a caminho de casa com marido e três filhos que gravei o meu primeiro LP intitulado” Mares do Sul” com a produção musical de Paulino Vieira e Péricles Duarte (1988-89).
Seguiu-se o regresso a Cabo Verde, altura em que, a convite de Mário Lucio Sousa, juntei-me ao grupo Simentera com o qual gravei “Raíz”,” Barro e Voz”, “Simentera En Serenata” e “TR’aditional”.

A solo editei “Menino das Ilhas”, um CD para crianças também produzido por Paulino Vieira,com a participação da minha filha Sara nessa altura com 8 anos; ”Sentires”, “De Cor a Som”,”Voz” os três produzidos musicalmente por Mario Lúcio “Andante” uma compilação de temas gravados a solo e com o Simentera e “Gerassons”, trabalho discográfico feito com a minha filha Sara; a produção musical teve a assinatura de Kisó Oliveira e Ricardo de Deus.
Já fiz concertos en toda Europa com o Simentera e a solo.

Teté Alhinho é autora e compositora de mais de 50 canções, muitas delas são já autênticos clássicos no cancioneiro de Cabo Verde. Entre muitas destacam-se “Dia T´Chuva Bem”, “Bejo Furtado”, “A téma” ; “Chibinho”; “C´Lamor”; “Coladera Nobo” (Simentera); “Conversa Adiada”; “Desabafo” “Dia Qui’m Vira” “Mudjer” ; “Terra Verde” entre outras.

“O CD Menino das Ilhas contém dois temas da minha autoria que fazem parte de duas compilações da Putumayo. A canção” Barco di Papel” no cd African Playground e a canção “São horas de Dormir” no cd African Dreamland. “Sara, Sarita”, cantada com a sua filha Sara na altura com apenas 8 anos, é um autêntico hino do reportório infantil de Cabo Verde.

O Cd Voz é um disco apenas com guitarra e voz e foi considerado pela Song Lines editora inglesa de worldmusic como um dos 10 melhores Discos de 2004.” Também “Mornas Ao Piano” editado em 2017, foi aclamado por publico e critica, tendo recebido elogios por parte de publicações internacionais como a Songlines, Sunday Times ou ainda o The Australian. “Mindel de Mae Auta” de sua autoria recebeu o Prémio de “Melhor Morna” nos Cabo Verde Music Awards de 2017.

BIOGRAPHY

TETE ALHINHO

The Soothing Voice from Cabo Verde

“I was born in Mindelo, a small, poor seaside town, on the island of Saint Vincent, with the sound of the sea all around me. Mindelo is the most culturally diverse town in Cape Verde. Because of its bay, it is a popular port and draws a lot of people from other countries. The population is very open-minded and they have a very sensual and unique musical sensibility. Growing up there, I inherited this rhythm and feeling of the sea. The sound of the sea gives me this enormous sense of freedom that I express in my music”. Teté Alhinho.

When Simentera took over the world in the early nineties, one voice stood out: Teté Alhinho. “Tete´s smoky, emotion-drenched delivery was a vital part of the groups unique sound“ wrote J. Poet, at Global Rhythm (USA). Her singing and her compositions are remarkably soothing. Nobody that has ever listened to Teté performing live can ever go back to their routine with ease.

Teté sings about melancholy without being sad. “You compose better about love when you are melancholic than when you are happy. When you´re happy, you are so full of love you have no space for anything else. When you are happy in love, you share this sentiment only with your beloved. But when you are sad, you need to share it with others, so you compose to translate what you feel. But the other side of this is hope, believing in better days to come”. It is with this simplicity that Tete conquers the hearts of her audience. With a velvet voice made out of threads from Cabo Verde, Cuba, Mexico or even Portugal, where her father was born. The natural fiber of pure magic. The miracle of inspiring all of those who will never forget her singing.

“The one voice I havent been able to get out of my mind since I first heard her cd is that of Tete Alhinho from Cape Verde. Dark, haunting and distinctive.” Simon Broughton about “Voz” (Songlines Best Album of 2004).

Teté Alhinho is the composer of more than 50 songs along the years, much of them are already hymns from the music from Cabo Verde: “Dia T´Chuva Bem”, “Bejo Furtado”, “A téma” ; “Chibinho”; “C´Lamor”; “Coladera Nobo” (Simentera); “Conversa Adiada”; “Desabafo” “Dia Qui’m Vira” “Mudjer” ; “Terra Verde” among many others.

“Two of the songs from “Meninos das Ilhas” have been released by acclaimed Record Label Putumayo. ” Barco di Papel” is also part of the record “African Playground” and “São horas de Dormir” was released on the cd African Dreamland. “Sara, Sarita”, sang by her daughter Sara Alhinho, then with only 8 years old, is a true hymn of the cape verde reportoire for children.

“Voz” an album by Tete Alhinho with Mario Lucio, recorded only with voice and acoustic guitar, was acclaimed
by SongLines as one of the Top 10 Wolrd Music Albums of2004.”
In 2017 Tete finally release the long awaited “Mornas ao Piano”, the acclaimed new album, that celebrates the best of the traditional repertoire from Cabo Verde, along with Tete´s own compositions. “Mindel de Mãe Auta” received the Prize for “Best Morna” at the Cabo Verde Music Awards 2017.

The Soothing Voice From Cabo Verde